No Homem

A ideia que o cancro da mama é um problema das mulheres é um erro comum. Cerca de 1% dos cancros da mama ocorrem nos homens. Todos os anos, em Portugal, cerca de 60 homens são diagnosticados com cancro da mama. O cancro da mama masculina é mais comum em homens com mais de 60 anos. Poucos homens se apercebem dele e muitas vezes é diagnosticado mais tarde do que em mulheres. Por isso, o cancro tende a estar numa fase mais avançada, tornando-se mais difícil de tratar.

 

 Sintomas

O mais comum sintoma é o aparecimento de um ou vários nódulos na mama. Outros sintomas incluem uma alteração no tamanho, na forma ou na pele da mama, alterações na aparência do mamilo, corrimento mamilar, úlceras mamárias ou uma erupção cutânea no mamilo ou na área circundante (aureola).

A dor na mama, tal como na mulher, raramente é um sintoma de cancro. O aumento de tamanho e a sensibilidade na área da mama, nos homens, não significa necessariamente que existe cancro. Estes sintomas devem-se mais frequentemente à ginecomastia, uma condição causada por uma quantidade maior de estrogénio (a hormona sexual feminina) ou uma quantidade menor de androgénio (uma hormona masculina) no sangue.

Caso sinta alterações na mama ou se encontrar algum nódulo, deve sempre recorrerr ao seu médico de família.

 

Causas

O risco de cancro da mama aumenta se um familiar proximo (homem ou mulher) tiver tido cancro da mama. O risco aumenta se tiverem sido vários familiares a ter o cancro e especialmente  se o familiar tinha menos de 40 anos ou se teve cancro em ambas as mamas. Também tem um risco maior se tiver valores elevados de estrogénio (a hormona sexual feminina), valores baixos de androgénio (a hormona masculina) ou problemas genéticos raros como a síndrome de Klinefelter. A exposição a níveis elevados de radiação, devido por exemplo a tratamentos anteriores por radiação, também aumenta o risco.

 

Diagnóstico

Se tiver sintomas de cancro da mama o seu médico de família irá encaminhá-lo para um especialista. Não significa que tenha cancro, significa apenas que são precisos mais exames. Esses exames, para iniciar o estudo, serão uma mamografia e uma ecografia mamária, que mostram alterações ao tecido mamário, e caso seja necessário, será realizada uma biópsia, para retirar amostras da área suspeita da mama e que depois serão examinados. O exame físico serve para diferenciar o cancro da mama da ginecomastia e para avaliar as áreas axilares (gânglios).

Se estiver preocupado por ter antecedentes familiares de cancro e se o seu médico de família achar que tem um risco maior do que a média, pode ir à consulta da clínica genética de cancro para fazer exames e receber aconselhamento.

Os tipos de cancro de mama masculino podem ser:

  • Carcinoma Ductal In Situ: o cancro forma-se nos ductos da mama, mas não os invade nem se espalhapara fora da mama. É quase sempre curável com cirurgia.
  • Carcinoma Ductal Invasivo: atinge a parede do ducto e desenvolve-se pelo tecido adiposo da mama. Pode-se espalhar para outros órgãos.
  • Carcinoma Lobular Invasivo: Cresce no tecido adiposo da mama. É muito raro nos homens.
  • Doença de Paget: Inicia nos ductos mamários e provoca crostas no mamilo, escamas, prurido, inchaço, vermelhidão e hemorragia. A doença de Paget pode estar associada ao carcinoma ductal in situ ou com o carcinoma ductal invasivo.
  • Cancro da Mama Inflamatório: é muito raro nos homens e consiste na inflamação da mama que provoca o seu inchaço, vermelhidão e ardor em vez de formar um nódulo.

 

Tratamento

As opções de tratamento dependem da fase em que cancro está quando é detectado. Nos homens habitualmente, por terem pequena quantidade de tecido mamário e por o cancro geralmente ocorrer perto do mamilo não se faz tumorectomia (onde só se retira o nódulo). Habitualmente, é realizada uma mastectomia (operação para retirar toda a mama). Os gânglios linfáticos próximos (por exemplo, debaixo do braço) também são geralmente retirados quando afectados, caso oposto irá só realizar biopsia do gânglio sentinela.  Os especialistas, em reunião de grupo das doenças oncológicas, irão decidir se necessita mais tratamentos que podem ser radioterapia, quimioterapia, terapia hormonal ou anticorpos monoclonal.

O tratamento para o cancro é mais eficaz quando diagnosticado cedo, antes de se espalhar. Por isso, é importante que seja atento.

 

Prevenção

Embora não exista uma forma para evitar o cancro da mama, quanto mais cedo se detectar, maiores são as probabilidades de se curar. É importante conhecer o aspeto da sua própria mama, sobretudo se tiver antecedentes familiares da doença. Fale com o seu médico de família se notar algo fora do normal.

Um estilo de vida saudável pode ajudar a evitar muitas doenças, incluindo o cancro. Isto significa que deve deixar de fumar, deve consumir álcool moderadamente (não mais de 4 unidades por dia, no caso dos homens), e deve ter uma alimentação com baixo teor de gorduras e muita fibra, fruta e vegetais. Também ajuda fazer exercício regular.

O uso de anabolizantes ou estrogênios aumentam a possibilidade de desenvolver cancro da mama, por isso atenção com os suplementos.

 

Ligações

http://stopcancerportugal.com/2015/11/20/o-cancro-da-mama-no-masculino/

https://fundoimmlaco.pt/homens/

www.healthtalkonline.org 

https://www.esmo.org/content/download/10971/211105/file/ESMO-ACF-Cancro-da-mama-Um-Guia-para-o-Doente.pdf